BLOG DA MGLCOM

#NaoChoveNaoLavo promove conscientização

Que São Paulo passa por um momento crítico em relação ao abastecimento de água, todos já sabem. Sabe-se que o nível de reserva do Sistema Cantareira, com a utilização do “volume morto”, está abaixo dos 10%. Porém, poucos tomam consciência do que realmente está acontecendo e não mudam seus hábitos. Talvez, isso ocorra por falta de instrução, ou então por falta de campanhas de conscientização.

Por outro lado, a frota de automóveis continua crescendo. Temos o total de 7 milhões de veículos só na capital. Reunindo os dois fatos, a The National Conservancy Brasil, a TNC, lançou a campanha #NaoChoveNaoLavo, convidando o paulistano a deixar de lavar seu carro enquanto a de escassez de água continua.

É uma campanha bem-humorada de conscientização para a economizar água no momento de crise. Em seus anúncios, é informado que lavar um carro consome, em média, 500 litros de água. Ou seja, para lavar toda a frota da capital, seriam necessários 3,5 bilhões de litros, o equivalente ao consumo mensal de 25 milhões de pessoas, sendo que, de acordo a Sabesp, o consumo médio do paulistano em junho de 2014 foi de 140 litros por pessoa.

E além de mostrar que é possível poupar água deixando de lavar o carro, a TNC também pretende lembrar a população da importância de economizar água em outras ações cotidianas. Segundo o diretor de marketing da TNC, Marcelo Moura, o trabalho é de longo prazo, mas o objetivo é que a campanha tenha o efeito imediato de fazer ecoar a importância de sensibilizar os cidadãos para que haja o uso racional da água.

#NaoChoveNaoLavo é uma campanha criada e idealizada pela agência Africa. Teve início com anúncios nos jornais Metro e Destak e no UOL. Como parte da ação de lançamento, adesivos e um folheto explicativo convidando o paulistano a participar da ação serão entregues nos principais pontos de São Paulo.

A TNC trabalha com diversos atores para ampliar a capilaridade do Movimento Água para São Paulo, que atua na recuperação e preservação de áreas verdes em regiões de nascentes e mananciais.

 

Fonte: AdNews